Buscar

Samuel Baron - Um dos mais estimulantes e criativos designers franceses mora em Lisboa há 20 anos.


Nascido em França, em 1976, Sam Baron é licenciado em Design pela École Supérieure d’Art et Design de Saint-Étienne e possui uma pós-graduação pela École Nationale Supérieure des Arts Décoratifs, em Paris. Baron reinterpreta continuamente os métodos tradicionais de construção, problematizando no seu trabalho a utilidade dos materiais de produção atuais.

Enquanto designer independente e consultor, Sam Baron tem trabalhado para marcas como Louis Vuitton, Vista Alegre, Bosa, L'Óreal, Benetton e Dinh Van, e colabora com as empresas de design Ligne Roset, Christofle e Secondome Edizioni, entre outras. Atualmente é responsável pelo Departamento de Design da Fabrica, o centro de comunicação e pesquisa da Benetton, em Treviso.

Em Janeiro de 2009 recebeu o Grand Prix de la Création de la Ville de Paris na categoria de design e foi escolhido por Philippe Starck como um dos mais importantes designers da próxima década, na feira Maison & Objet. Outras distinções incluem o Silver Cuve, do New York Art Director Club, e o Yellow Pencil, do London Art Director Club.

Chegou à Vista Alegre em 2001 "Foi engraçado ver o contraste com a porcelana de Sèvres ou Limoges (os reis fizeram um bom marketing das produções francesas), a Vista Alegre tinha ar de loiça de casamento, muito clássica mas, ao mesmo tempo, tinha qualquer coisa de exótico. Achei muita piada à cultura da Companhia da Índias, vinda das colónias (em França essa cultura foi abafada, por não ser um momento grandioso historicamente), ver folhas de tabaco pintadas num prato em ouro e verde e cor de rosa foi uma viagem." Também descobriu "um know how e uma capacidade de produção incríveis, como se fazia há séculos, que em França se mantém com mais dificuldade. Aqui tens senhoras que desenham flores de milímetros em pratos de restaurante, como desenhos em peças contemporâneas."

Sam trouxe uma modernidade arty, o seu humor e twist. Começou por recuperar pratos com defeito que iam para o lixo, e decorou as suas rachas e falhas, celebrando-as, e usando decalques de padrões que já não existem, de coleções antigas. Isto antes das palavras responsabilidade e ecologia serem obrigatórias. Foi o seu primeiro grande projeto internacional e teve "muito boas respostas": uma galeria em Milão encomendou-lhe uma coleção e o museu Grand Hornu da Bélgica pediu-lhe uma instalação para a entrada da cafetaria. Depois começou a trazer para a Vista Alegre nomes como Christian Lacroix e Jean-Jacques Sempé.

Recentemente criou Petites Histoires e usou colagens de sketchs de desenhos do seu caderno e imagens muito fortes na cultura Vista Alegre, como as flores e os insetos.

Viveu uns anos entre Lisboa e Paris onde já trabalhava para grandes marcas, de window display a interiores. Aos 25 ingressou na Fabrica, o jovem centro criativo da Benetton em Treviso, Veneza, e depressa deu nas vistas, acabou por dirigir a equipa de design durante 10 anos. Os mesmos em que viveu entre as três cidades sempre de mala de viagem na mão.


Neste momento Sam Baron encontra-se a trabalhar em projetos com a Maison Dior.


Veja a lindíssima coleção Petites Histories disponível na Lusalar. (carregue na imagem abaixo)









12 visualizações

Posts recentes

Ver tudo